A Marca de 100 Bilhões de Dólares

12/08/2009

Top 10 BrandsÉ o Google. De novo.

Já tem alguns anos que a empresa – conhecida por sempre confiar na propaganda boca-a-boca e que, até recentemente, tinha um orçamento anual de US$ 0,00 para a publicidade tradicional – emplaca como uma das marcas mais valiosas do planeta. Microsoft, IBM e Apple também estão entre os 10+.

Mas o Google é um caso curioso. Do ponto de vista marquetês tradicional, o Google fez tudo errado. Eles sempre foram um tanto relapsos quanto a marcas e comunicação, preferindo deixar seus produtos falar por eles. E o produto é bom pra danar, então funciona.

Por outro lado, mesmo que você tenha um produto tão bom quanto, e for tentar o mesmo prodígio, muito provavelmente estará fadado ao fracasso. O Google não mudou as regras do jogo. O Google na verdade levou a bola embora.

Leia o resto deste post »


O que o Google, iPod e Canivetes Suíços tem em comum

06/08/2009

Hoje é dia de links.

Google has the functionality of a really complicated Swiss Army knife, but the home page is our way of approaching it closed. It’s simple, it’s elegant, you can slip it in your pocket, but it’s got the great doodad when you need it. A lot of our competitors are like a Swiss Army knife open–and that can be intimidating and occasionally harmful.

Beautiful


Google na telinha

12/05/2009

Era uma vez o Google, que tinha a capacidade de ser a marca mais valiosa do planeta e ao mesmo tempo possuir ZERO de orçamento em publicidade. As regras da publicidade “tradicional” ditam que ambas as condições deveriam ser excludentes. Se você não investe em publicidade você se priva de brand awareness e não maximiza corretamente o valor da marca. Gerações inteiras de marketeiros e publicitários foram criados para agir sob este dogma.

Aí vem o Google e caga em cima. A maior empresa de publicidade do planeta historicamente confiou no boca-a-boca para virar um gigante. O mundo como nós o conhecemos chega ao fim, as trombetas do apocalipse soam, tudo o que você acredita ser verdade é falso, a Matrix termina em um Blue Screen of Death.

E essa semana, o Google se rendeu à publicidade televisiva para vender o seu navegador, o Chrome. Navegador este, aliás, que eu uso para escrever este post. Eu sou tiete do Google, e estou em sentindo uma donzela traída. Tudo bem que a Microsoft vive tomando processos por práticas anticompetitivas por conta do Internet Explorer e que acabar com a total hegemonia do IE, mesmo sendo o pior navegador do planeta, vai ser uma tarefa complicada. Mas será que não existem maneiras mais inteligentes de uma empresa 100% focada em Internet de torrar o seu rico dinheirinho?