É preciso um inglês para entender o verdadeiro punk

20/10/2009

Especialmente se o inglês em questão for Warren Ellis.

Ellis analisa as possibilidades do sistema POD, como o Magcloud, com uma ótima análise do que significa ser uma revista:

I keep peering at it and thinking, what can I do with that? Without, of course, becoming a publisher, and having to disburse money to other people, creating for myself a nightmare of inefficiency and lost time. (The most valuable resource any writer has is time.) That said: I keep wondering. What can a one-writer magazine look like? What does a magazine do? You associate “magazine” with disposability: but on the other hand, I’m a hoarder, and magazines will live on a nearby shelf or stack for years in my office. Perhaps it’s simply a modular presentation. Perhaps it’s a tract. These things need considering.

Já sua coluna semanal, Do Anything, atinge seu climax com estilo:

A place where everything connects to the same central ocean. Where we all share the same strange air. Where unthinkable complexity becomes visible, speakable, drawable. Where we can see the paths through the jungle that others have trod, and can see where they’ve crossed, and can see what foliage has not yet been trailbroken.


Social Media is the New Punk (Ladrão que Rouba Ladrão…)

14/10/2009

@Bucco roubou  um pedaço do meu texto, e agora eu me apodero de um dos links dele:

É também uma versão resumida do motivo deste blog chamar-se “Capitalismo Punk.

Aliás, vale a pena conferir isto aqui.


Precisamos de mais bebidas?

01/10/2009

Um tempinho atrás, a AT&T decidiu-se, sabe-se lá pr qual razão (mas que não são difícies de imaginar…), bloquear o acesso de seus usuários de banda larga para o site 4chan. Em termos internéticos, é uma atitude similar a pular no trilho de um trem que está chegando em alta velocidade para fazer uma baleia branca para o maquinista. Porque 4chan é um dos lares do pseudogrupo web de anarcopunk coletivamente (?) conhecido como Anonymous. Eles deram dor de cabeça para a Igreja da Cientologia, gastrite em Rupert Murdoch e, literalmente, fizeram a Associação dos Epiléticos ter um treco.

Alguém dentro da AT&T deve ter apontado lá dentro que cutucar o 4chan era pedir para alguém implodir toda a infraestrutura web dos EUA e garantia de moleques mascarados jogando tomates podres nos carros dos funcionários da empresa, e logo logo a empresa voltou atrás com um “ops, foi mail aí, gente“.

A citação famosa de John Gilmore, de que “A Rede identifica a censura como uma falha e navega ao redor dela” virou “A rede identifica a censura como uma falha e desce o cacete nela até ela ir embora”. O caso mais famoso do Brasil foi o Cicarelligate, que não deu em nada, a moça continua aí na mídia mesmo sem dar para alguém relevante nesses últimos tempos.

Esses dias, o blog Resenha em 6 fez um post falando mal dum tal boteco São Bento. Falaram mal. Nego apareceu nos comentários dizendo ser da gerência do boteco e que ia processar geral. Comentários explodiram. Gerência do bar nega ser a gerência do bar que ameaçou processar geral, mas manda uma nota judicial mesmo assim. O Resenha 6 tira o post do ar. Comentários explodem de novo. Todo mundo odeia o bar. Blogs fazem protestos.

E a história vai morrer aí.

Continue lendo »